Amazon investe na personalização de roupas com digitalização 3D do corpo

A Amazon está atualmente convidando várias pessoas a terem seus corpos digitalizados em 3D em seus escritórios em Nova York, insinuando os futuros planos da gigante de e-commerce de dominar o mercado de roupas com ajuste personalizado. De acordo com o The Wall Street Journal, os participantes estão sendo solicitados a retornar a cada duas semanas para ter seus corpos digitalizados ao longo de 20 semanas.

Eles também estão sendo solicitados a responder a uma série de questões de saúde e condicionamento físico e a uma pesquisa online que determina as perdas e os objetivos relacionados ao peso no último ano. A pesquisa diz: “Estamos interessados ​​em entender como os corpos mudam de forma ao longo do tempo”.

O projeto vem da nova unidade de escaneamento 3D da Amazon e supostamente vincula-se a um objetivo mais amplo de melhorar a adequação de roupas vendidas online, que é um dos maiores desafios do setor. A Amazon pagou em 2017 mais de US$ 100 milhões para adquirir a Body Labs, uma startup que cria um modelo 3D do corpo humano, com suas medidas exatas, somente com uma foto ou vídeo.

Na época, o site da Body Labs, que está atualmente desativado, demonstrou como sua API poderia ser usada para “prever e medir com precisão a forma 3D de seus clientes usando apenas uma única imagem”, que por sua vez poderia ser usada para se produzir roupas personalizadas sob medida ou ser usado por varejistas de moda e-commerce para que o cliente tenha certeza que a roupa servirá em seu corpo.

Nos últimos dois anos, a Amazon vem fazendo movimentos agressivos em direção ao mercado de moda, tanto do ponto de vista de hardware, serviço e mercadoria. A gigante da tecnologia já avisou que pretende ser a maior empresa de moda do mundo, superando os grandes grupos de fast fashion como Inditex (Zara) e H&M.

Em abril de 2017, a empresa lançou o Echo Look, um dispositivo controlado pela IA Alexa que usa uma câmera para ajudar os usuários a fotografar suas roupas e receber conselhos de estilo. No novo serviço try-before-you-buy (experimentar antes de comprar) Prime Wardrobe, os clientes podem escolher itens da vasta seleção de roupas, sapatos e acessórios da loja virtual da Amazon e receber as peças numa caixa em casa, onde terão sete dias para experimentar os itens e depois devolver os que não serviram, pagando apenas pelo que gostaram.

Até agora, a Amazon desenvolveu mais de 50 marcas de roupas para mulheres, homens e crianças, mostrando que praticamente não existe nenhum setor da indústria de vestuário que não tenha sido explorado. A empresa quer revolucionar a fabricação de roupas, através de um novo “sistema de produção sob demanda” projetado para produzir rapidamente roupas depois que o cliente fez a compra no site, tudo sem a necessidade de assistência humana.

É uma fábrica automatizada que possui impressoras digitais, cortador têxtil, uma linha de montagem, máquinas de costura automatizadas bem como câmeras que capturam imagens das roupas. Segundo a Amazon, isso ajudará a fornecer o feedback necessário sobre as alterações nos itens seguintes. Com toda essa inovação tecnológica, nenhum grande grupo de moda será páreo para a Amazon.

 

Fonte: Stylo Urbano 

VER TODOS OS POSTS

POSTS RELACIONADOS