Brasileira de 18 anos é premiada após criar plástico com sobras de suco de maracujá

Antes mesmo de entrar na faculdade, a estudante Juliana Davoglio Estradioto desenvolveu um plástico inovador a partir de uma substância inusitada, que é uma alternativa ao derivado do petróleo. Depois de um ano de pesquisas, a jovem criou um filme plástico feito com o remanescente da produção industrial do suco do maracujá e como resultado desta realização incrível, acaba de ganhar o 29º Prêmio Jovem Cientista.

O material pode ser usado como uma alternativa sustentável aos sacos plásticos, isopor ou, até mesmo ser utilizado como suporte de mudas de plantas. A estudante, que está finalizando o ensino médio, ainda irá representar o Brasil em outros eventos científicos pelo mundo no ano que vem, como Estocolmo e Nova York.

Apesar da falta de incentivo à ciência e pesquisa por parte do governo, são cabeças como esta que nos fazem acreditar que é possível construir uma nação mais íntegra e sustentável. Juliana pretende cursar engenharia química e afirma que o material desenvolvido por ela, além de diminuir o uso de plástico sintético, faz bom uso do descarte de restos de maracujá, que é o que não falta no Brasil.

Fonte: Hypeness

VER TODOS OS POSTS

POSTS RELACIONADOS