COMO A INDÚSTRIA BRASILEIRA DEVE SE ADAPTAR A INDÚSTRIA 4.0?

A indústria 4.0 se caracteriza por um conjunto de tecnologias que permitem a fusão do mundo físico, digital e biológico. Com isso, os processos de produção devem se tornar cada vez mais eficientes, autônomos e customizáveis. Apesar de no mundo inteiro esse conceito já ser uma realidade presente em muitas indústrias, segundo a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), apenas 2% das indústrias brasileiras estão inseridas no conceito da indústria 4.0. Em 10 anos a expectativa é que esse número chegue aos 15%, mas, segundo a Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII), 2018 irá marcar a arrancada da indústria brasileira para a transformação digital.

Os custos de se investir em sensores para auxiliar no processo de digitalização e, consequentemente, de monitoramento de uma indústria caíram muito nos anos. De acordo com o José Rizzo, presidente da empresa de automação Pollux, os custos com sensores para digitalizar uma indústria caíram 66% e os custos com armazenamento de dados devem cair em até 80%. Dados sendo coletados a partir de sensores e com baixo custo de armazenamento proporcionam o ambiente ideal para aplicação de Inteligência Artificial (IA) na indústria.

Sensores executam um papel muito importante na indústria 4.0 por possibilitar a coleta de dados, muitas vezes, em tempo real. Informações precisas de temperatura, pressão e uma infinidade de possibilidades proporcionam uma maior visibilidade de cada elemento que compõe um processo produtivo. Através de inteligência artificial, dados podem ser transformados em informações úteis e auxiliar em atividades críticas para uma indústria, tais como: na detecção de falhas em máquinas, em atividades de gestão com análises descritivas e preditivas, em processos de auditoria ou até mesmo para melhorar a segurança no trabalho.

 

Fonte: Instituto SENAI de Inovação

Imagem: Blog da Qualidade

 

VER TODOS OS POSTS

POSTS RELACIONADOS