Investimento social: um novo compromisso

Quando o assunto é sustentabilidade, o imaginário coletivo costuma se lembrar apenas dos compromissos ambientais, pensando imediatamente em questões como reciclagem e redução de danos à natureza. Tão importante quanto a atenção ao ecossistema é a preocupação social: se o consumo exacerbado leva aos impactos que tanto buscamos combater – do excesso de lixo à obsolescência programada -, ele também atinge diretamente a forma como cada um vive em sociedade.

Oriba e Clau são dois exemplos dessa nova onda sustentável. Ambas as marcas possuem uma história recente, mas trazem em suas filosofias a preocupação ética em valorizar as pessoas.

 

interna-1

foto por Eduarda Hiller

 

Identidade em alta

Formada em História há quase 15 anos, Cláudia Campos decidiu abandonar as salas de aula. Já especializada em História Africana e Afro-brasileira, a professora decidiu ser mais uma vez estudante e há poucos dias completou sua segunda graduação em Design de Moda. Relacionando questões que já a interessavam em outros momentos de sua vida, do trabalho de conclusão de curso surgiu Clau, sua marca de saias e turbantes.

Recém lançada, a presença da marca no mercado ainda é pequena: atualmente as peças são vendidas principalmente nas feiras independentes de Porto Alegre. O sonho, no entanto, é grande: “Através da Clau, parto da questão negra e busco valorizar a identidade brasileira”.

Com estampas inspiradas nas expressões artísticas do grafite portoalegrense, a iniciativa de Cláudia surge em um panorama de pouca igualdade: como já levantamos aqui, a moda ainda reproduz uma desigualdade racial bastante expressiva. Sobre representatividade e a forma como algumas grandes marcas pensam a cultura negra, a estilista comenta: “Noto que há uma carência. Há uma beleza negra que pode ser representada, mas eu vejo que alguns estilistas pecam em falta de conhecimento. É preciso um cuidado de pesquisa, saber como trabalhar com os símbolos usados.”

 

interna-2

 

Fórmula simples

Fruto da parceria entre três grandes amigos paulistas, a Oriba se apoia na moda masculina para alçar voos maiores: um retorno à sociedade mais carente. “Enxergamos em abrir uma empresa a possibilidade de atuar de modo diferente da tradicional fórmula onde o lucro é o único objetivo”, sustenta Marcelo Collis, um de seus criadores.

Essa alternativa materializou-se em uma simples equação: para cada peça vendida no site da Oriba, um kit escolar é destinado à ONG Obra do Berço, localizada na Grande São Paulo. “Já faz um tempo que penso na educação como sendo o único jeito de promover uma mudança positiva na sociedade. Foi no modelo que criamos onde pude ver esse ideal mais próximo da realidade: investir na sociedade e respeitar a todos os envolvidos. Não necessariamente alguém precisa perder para outra pessoa ganhar”, conta o sócio Rodrigo Ootani.

Clique aqui para conferir uma entrevista completa com os criadores da Oriba.

VER TODOS OS POSTS

POSTS RELACIONADOS