Entrevista: a moda ética da Amour Vert

A marca norte-americana Amour Vert possui um lema: “Em cada ponto, um propósito”. Propondo uma moda ética, sustentável e acessível desde 2009, ela já ganhou consumidores cujos nomes dispensam apresentação. Alessandra Ambrósio, Blake Lively e Alicia Keys são alguns deles.

Buscando nos inspirar com histórias de sucesso a fim de traçar novos caminhos e alternativas, entrevistamos Christoph Frehsee e Linda Balti, CEO e diretora criativa da marca, respectivamente. Durante o papo, eles falam sobre as suas dificuldades e êxitos no dia a dia, e mostram como —literalmente — vestir a camisa da sustentabilidade.

 

Fachada da loja em São Francisco, na Califórnia. Foto: Arturo Torres.

Fachada da loja da marca em São Francisco, na Califórnia. Foto: Arturo Torres.

 

Quais foram os maiores desafios quando vocês começaram? Preço, demanda, mão de obra…?

Nosso maior desafio no início era achar tecidos bonitos e de qualidade que fossem sustentáveis e orgânicos. Como não conseguimos achar, nós começamos a fazê-los e a desenvolver combinações de fibras orgânicas e sustentáveis. Misturamos algodão orgânico e fibras feitas de madeira, por exemplo, para alcançar o tecido mais macio possível.

 

Aqui no Brasil, a moda sustentável ainda vê algumas dificuldades, como tecidos de alto valor, pouca demanda ou consumidores. Como é o mercado nos Estados Unidos?

É muito legal ver a demanda mudando para produtos mais responsáveis e éticos aqui nos EUA. Os consumidores por aqui com certeza estão mais educados e cuidadosos com o local onde compram, como o produto foi produzido e o impacto que as suas decisões têm no meio ambiente. Nós chamamos a Amour Vert de “moda inteligente” e definitivamente sentimos que os consumidores estão questionando mais, e buscando opções inteligentes quando eles compram. Além disso, se você está disposto a explorar opções disponíveis em engenharia de tecidos e inovação na cadeia de fornecimento, ser uma marca sustentável pode ser rentável aqui nos Estados Unidos. Ainda há muito trabalho a se fazer e muitas consciências a se expandir, mas estamos chegando lá.

 

Muitas marcas se baseiam muito no pilar “verde” da sustentabilidade, esquecendo de outros aspectos, como o social por exemplo. Como vocês equilibram os três pilares da sustentabilidade na sua produção?

Para nós, ser “verde” e socialmente responsáveis são aspectos que caminham de mãos dadas. Muitas decisões que tomamos não são apenas responsáveis, mas “Smart Business”. Por exemplo, nós nos baseamos na nossa filosofia de design zero-waste, que não apenas minimiza nossa emissão de carbono, mas reduz a quantidade de resíduos e maximiza a eficiência de custo. Nós somos comprometidos em manter uma integridade na cadeia de fornecimento, e através da inovação de tecidos, estamos projetando novas formas de criar materiais luxuosos e ultra-macios que tenham uma boa sensação ao toque e que sejam bons para quem usa. É necessário muito balanço, mas nos permite produzir uma linha que não é apenas lucrativa, mas que nos dá orgulho também.

 

Campanha de Verão da marca Amour Vert. Foto: Guy Lowndes

Campanha de Verão da marca Amour Vert. Foto: Guy Lowndes

 

Sobre essa filosofia zero-waste: como essa crença influencia na rotina e processo de produção da marca?

Nós desenhamos e projetamos nossos próprios tecidos, mas gastamos cerca de dois anos desenvolvendo fibras com produtores certificados. Nós desenhamos para manufatura e nossas fábricas são treinadas a retirar o máximo de rendimento dos nossos tecidos.

Essa filosofia se extende além da fábrica. Nossos produtos sõ transportados antre São Francisco e Los Angeles através de uma companhia de caminhões que transporta vinho do Vale de Napa a Los Angeles  eles costumavam vir de lá com caminhões vazios, e agora retornam trazendo nossos tecidos depois de largar o vinho. Nossa equipe tem muito orgulho de nossas ténicas, e saber que estamos contribuindo para um mundo mais limpo nos motiva muito.

 

Onde são feitas as peças da Amour Vert — e mais importante ainda, quem as faz?

Produzimos nossas peças em um raio de cerca de 32 quilômetros da nossa loja em São Francisco. Nós temos orgulho de criar empregos locais e cuidadosamente exigimos que todas as nossas fábricas na Califórnia garantam tratamento justo com todos os trabalhadores.

 

Da onde vem a matéria-prima para os seus tecidos?

Nosso algodão orgânico vem de uma cooperativa no Peru. Já a seda que usamos é uma autêntica seda indiana feita por uma empresa familiar de qualidade inigualável.

 

Vocês tem alguma dica para iniciantes no mundo da moda ética?

Encorajamos todos a dar pequenos passos ao encontro da sustentabilidade em sua cadeia de fornecimento. Até mesmo um pequeno impacto é melhor do que nada.

VER TODOS OS POSTS

POSTS RELACIONADOS