Esta camisa é um controle remoto de vestir - e antibacteriana

Esta camisa é um controle remoto de vestir - e antibacteriana 26Ago
Inovação

Roupa eletrônica

Uma nova adição ao seu guarda-roupa poderá em breve ajudá-lo a acender as luzes da casa e controlar sua música - além de mantê-lo seco, limpo e seguro contra os vírus e bactérias da estação.

A ideia, parte da área conhecida como "eletrônica de vestir", era compor um tecido que permitisse aos usuários controlar aparelhos eletrônicos nas próprias roupas.

O resultado foi além disso porque o material utilizado cumpre simultaneamente outras funções.

"Pela primeira vez foi possível fabricar têxteis que podem protegê-lo da chuva, de manchas e bactérias enquanto eles coletam a energia do usuário para alimentar a eletrônica baseada em tecidos. Estes e-têxteis autoalimentados também constituem um importante avanço no desenvolvimento de interfaces homem-máquina de vestir, que agora podem ser lavadas muitas vezes em uma máquina de lavar convencional sem degradação aparente," disse Ramses Martinez, da Universidade Purdue, nos EUA.

Outro avanço importante foi a simplificação do processo de fabricação do e-tecido: Toda a parafernália de coleta de energia (nanogeradores), sensores, tocador de música, interruptores etc, é incorporado ao tecido por meio de uma espécie de bordadura, permitindo trabalhar com qualquer tecido disponível industrialmente.


e-Tecido

As propriedades do e-tecido - impermeável, respirável, auto-alimentado e antibacteriano - foram obtidas com a incorporação dos nanogeradores triboelétricos omnifóbicos (RF-TENGs), que capturam a energia, além de químicos chamados organossilanos fluoroalquilados, que repelem quase tudo.

A parte eletrônica, aplicada por bordadura e por aspersão, mantém o tecido fino, flexível, respirável (permeabilidade ao ar de 90,5 mm s-1), barato de fabricar (<$0,04 cm-2) e capaz de produzir uma boa densidade de potência (600 µW cm2).

É como ter um controle remoto de vestir que também mantém odores, chuva, manchas e bactérias longe do usuário.

"Embora a moda tenha evoluído significativamente nos últimos séculos e tenha adotado facilmente materiais de alto desempenho recentemente desenvolvidos, há muito poucos exemplos de roupas no mercado que interagem com o usuário," disse Martinez. "Ter uma interface com uma máquina que estamos constantemente usando parece a abordagem mais conveniente para uma comunicação perfeita com as máquinas e a Internet das Coisas".

 

Fonte: Inovação Tecnológica

Ligar

Diagnóstico