Instituto SENAI de Inovação inicia pesquisas para produzir materiais têxteis resistentes a 1000 ºC

O desenvolvimento do projeto será realizado pelo Instituto SENAI de Inovação em Biossintéticos do SENAI CETIQT, em parceria com a empresa Multivácuo Aeroespacial


Novos materiais que resistem a altas temperaturas poderão ser produzidos pela indústria nacional, por meio do Edital de Inovação para a Indústria. A tecnologia atende a diversos setores, principalmente da indústria aeroespacial e da automobilística. O desenvolvimento do projeto será realizado pelo Instituto SENAI de Inovação em Biossintéticos (ISI) do SENAI CETIQT, no Rio de Janeiro, em parceria com a empresa Multivácuo Aeroespacial.

A nova fibra de poliacrilonitrila (PAN) oxidada é um desenvolvimento revolucionário e pioneiro no Brasil graças à tecnologia agregada à nanoestrutura da fibra, dessa forma, o efeito termorresistente é perene, sendo seu uso limitado apenas pelo desgaste natural do tecido. A próxima etapa do desenvolvimento será ajustar a nova fibra com características adequadas para suas aplicações nos processos têxteis de fiação e tecelagem.

“O Brasil figura como o principal produtor e consumidor de têxteis técnicos na América Latina. O desenvolvimento desta tecnologia a partir da PAN-oxidada permitirá conduzir este setor, caracterizado como tradicional, para o patamar das indústrias de alta tecnologia”, disse o coordenador de inovação em fibras do ISI em Biossintéticos, Ricardo Cecci. .

O Edital de Inovação para a Indústria é uma iniciativa que valoriza a inovação, financiando o desenvolvimento de novos produtos, processos e serviços inovadores. Empresas de qualquer porte podem participar do Edital. No total, R$ 53,6 milhões em aportes serão disponibilizados por meio da parceria entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), o Serviço Social da Indústria (SESI) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

INOVAÇÃO EM BIOSSINTÉTICOS – Com um conceito de alta integração com a indústria e a academia, a equipe do ISI em Biossintéticos é formada por especialistas reconhecidos nas áreas de biotecnologia, transformações químicas, engenharia de processos e fibras. Em 2017, o SENAI CETIQT (Centro de Tecnologia da Indústria Química e Têxtil) inaugurou a planta de Fibras Químicas a fim de apoiar as indústrias no desenvolvimento de pesquisas para a fabricação de fios com funcionalidades.

 

Fonte: Portal da Indústria

VER TODOS OS POSTS

POSTS RELACIONADOS