Slow Fashion x Fast Fashion

As coleções trocam a cada 3 meses e os consumidores não param de acumular peças que são mais baratas, porém, quase descartáveis. Essa é a base do fast fashion. Ele tem pilares como a produção em massa, a globalização do estilo, a busca sempre pelo novo e pelo atual. A moda em fast fashion é a responsável pela monetização das peças em larga escala. Esse fluxo trabalha com “reprodução”, não focando na “criação”.

fashion01

Em contraponto a esse movimento, o slow fashion foi criado. Idealizado pela inglesa Kate Fletcher, consultora e professora de design sustentável do britânico Centre for Sustainable Fashion, ele é inspirado no movimento slow food, que vai contra a indústria da comida rápida e sem qualidade nutricional.

fashion03

O slow fashion valoriza a produção da moda, a pesquisa realizada em seu processo e a sustentabilidade das coleções. A relação de naturalidade e conservação da identidade cultural de um povo ou sociedade é altamente valorizada no slow fashion.

Buscando um consumo mais consciente, a procura pelo slow fashion cresce ano após ano. Consumidores estão abrindo mão do foco em novidade e estão procurando muito mais o durável e o que seja único, especialmente produzido para eles. Essa exclusividade, além de gerar capital para costureiras e alfaiates locais, faz com que menos peças sejam feitas, porém, com mais qualidade.

O IBB prestigia a brasilidade, a conservação da identidade cultural e a sustentabilidade das marcas. Conheça mais sobre os nossos projetos aqui [http://goo.gl/GOwr1z].

VER TODOS OS POSTS

POSTS RELACIONADOS