Sustentabilidade que cabe na produção

Como pensar a sustentabilidade desde o início em uma empresa? A marca porto-alegrense Seven Reiss pode nos ajudar a esboçar algumas respostas. Com apenas cinco meses de história, a empresa assume o desafio de agregar a preocupação eco sem tornar o produto inacessível.

Elenita e Bruna Reiss compõem a formação da pequena equipe da marca. Mãe e filha decidiram colocar em prática um antigo sonho. Bruna conta um pouco o início da ideia. “A gente tem o ateliê há algum tempo, onde a gente faz vestidos e outras peças sob encomenda. Queríamos fazer alguma coisa diferente e a ideia surgiu quando estávamos na cozinha. Vimos como os aventais são iguais e como a gente podia fazer algo diferente. Aí começamos a planejar.”

 

interna-2

 

Da confecção de aventais, a produção rapidamente cresceu para outras peças. “Nosso foco sempre foi usar técnicas artesanais. Nisso, o que sobra de tecido a gente produz os bolsos, e o que sobra dos bolsos se tornam os colares, assim por diante. As meninas também começaram a se interessar por saias com nossas estampas, então isso entrou também.”

 

Sustentabilidade também é encontrar uma solução possível

 

Apesar da redução de resíduos ter vindo naturalmente, a preocupação com o meio ambiente encontrou alguns obstáculos na estratégia da Seven Reiss. “A dificuldade principal é o valor dos materiais. O tecido orgânico nacional é mais correto ambientalmente, mas custa muito mais caro no mercado”, explica Bruna.

A solução, às vezes, acaba sendo melhorar os processos dentro das condições da marca. “Pensar de que forma balancear tecidos locais e importados e como torná-los menos agressivos à natureza. Pra isso acontecer a gente lava e trata os tecidos que são tingidos à base de metais ou pigmentos pesados”, conta. “Sustentabilidade também é isso: encontrar uma solução possível”, finaliza a empresária.

 

VER TODOS OS POSTS

POSTS RELACIONADOS